17 de outubro de 2017

O mal da Mirage é a parte elétrica? / Risco de incêndio

Olá meus amigos!

Beleza com vocês?

Há algum tempo, li sobre um caso de uma Mirage que pegou fogo, acabou atingindo o tanque e o prejuízo foi grande.

Há pouco tempo, a moto de uma amiga teve um belo dano no sistema elétrico, causado por um curto circuito na traseira, algo que aconteceu com a minha, mas sem maiores danos.

Pois bem, um dos motivos que podem levar uma motocicleta a combustão é o seguinte:

Zueras a parte, vou abordar aqui alguns motivos que podem, com certa facilidade causar este problema e estas observações valem para QUALQUER MOTO.

Antes de qualquer coisa, pense na bateria como a fonte de vida do seu sistema elétrico, embora sensível, que pode sofrer danos, ela também pode matar você.

Agora pense na energia como veículos e nos fios como ruas, que suportam um determinado peso, e pense nos fusíveis como pontes feitas para desabar caso este peso seja excedido.

Diagramas elétricos são mapas dessas ruas. 

Um item que pode causar problemas sérios nessa área é o Retificador/Regulador de tensão.

Para entender um pouco melhor, temos aqui um desenho de como a coisa funciona:

A energia é gerada na parte A.C Generator do desenho, que é o famoso estator (esq.), basicamente uma bobina que tem girando ao seu redor, alguns ímãs, o magneto (dir.).

Agora confesse, você pensou no magneto do X-Men.

A etapa seguinte, é o Regulador/Retificador, onde a eletricidade deixa de ser AC e se torna DC (sim, AC/DC vem exatamente disso) e também é regulada. Esta bruxaria acontece logo de cara nos diodos, os componentes com este símbolo: 

Não sei se notaram, mas temos neste desenho, 3 pares destes componentes, conectando o polo negativo com o positivo. Vamos supor que apenas um desses pares entraram em curto.

Teremos o mesmo que isto:



Temos nada mais nada menos que positivo e negativo interligados através dos fios do retificador.

Obviamente, a carga da bateria não deixará quieto e os fios aquecerão a ponto de transformar os isolamentos em carvão, uma bela fonte de calor bem ali, pertinho do tanque.

Se tiver algo mais para queimar, é o prato cheio para um incêndio. 
Mesmo que não pegue fogo, ainda pode comprometer outros componentes eletrônicos, além da própria fiação principal, afinal, os fios do retificador ficam amarrados com mais um monte e também pode comprometer a caríssima bateria.

E se tiver sorte, teremos apenas isto:
Isto aconteceu na minha moto, por sorte, eu consegui parar e arrancar os fios, evitando que algo pior acontecesse.

Mas a moto tem dois fusíveis, eles não deveriam ter protegido?

Um só queima caso haja algum problema com as luzes, já o outro, teria queimado se não tivessem feito uma pequena alteração no circuito.

Existe uma informação circulando entre proprietários, mecânicos, foruns e coisas do tipo, que se deve colocar um fio ligado diretamente do retificador até bateria, pois, alega-se que a fiação original cria uma certa resistência e a bateria não é carregada corretamente.

Não pretendo discutir se esta conexão deve ou não ser feita, quero mostrar os cuidados necessários para realizá-la.

Este é o desenho de como a energia sai do retificador e entra no circuito elétrico da motocicleta. Note que ele entra no circuito após o fusível de 30A. Isto significa que a bateria está protegida atrás deste fusível, caso qualquer componente entre em curto, incluindo o retificador, o fusível abrirá e a bateria ficará isolada do resto.
Na minha moto, e acredito que em diversas outras, o fio adicional que vai do retificador direto para a bateria foi instalado junto com a conexão original do retificador.
Dois conectores na bateria e dois fios saindo do conector onde liga o retificador.

* Ronnie, isto significa que agora a bateria está conectada com o resto do circuito sem nenhuma proteção?

Significa.

Observe no diagrama, que a bateria está conectada em pontos antes e depois do fusível.
Isto explica por que algumas motos tem algum curto circuito e o fusível não abre.

Outro erro comum, porém um pouco menos danoso, é ligar o retificador direto na bateria, mesmo que sem conectar na fiação original, porém sem proteção.
Embora menos danosa, por não anular o funcionamento do fusível, tem um componente que pode entrar em curto e é aquela história toda.

** E aí, como faaaaaz? Como faz? Como faz? Como faz? Como faaaz? Como faaaaaaz?

Você pode instalar o fio adicional se achar necessário, mas obrigatoriamente, deve isolar a conexão original, deixando-a desconectada, e ainda instalar mais uma caixa de fusível para que haja uma proteção entre a bateria e o retificador.
Toda alteração elétrica realizada na moto precisa ser feita com cuidado, além de sempre considerar a necessidade de proteção, caso contrário, um simples curto circuito, que pode ser causado até mesmo por um soquete de lâmpada, pode resultar em um belo prejuízo material, quando não humano.

Quer fazer um teste rápido?

Retire o fusível principal e veja se a parte elétrica ainda funciona. Se ela não apagar por completo, você tem um pequeno problema nas mãos.


Repita o teste com o fusível da iluminação.
Se farol e lanterna não apagar...

É bem comum o pensamento de que quanto mais grossos forem os fios, melhor, assim como fazer a ligação direta.

É melhor, de fato, fazer a ligação direta de um item de alto consumo, como faróis, mas deve-se tomar cuidado para não cometer este mesmo erro que acabou por anular o fusível.

Se é uma rota alternativa, como o caso de faróis auxiliares, devem ter uma caixa de fusível para eles. Se você ligou seu farol principal através de fiação dedicada e reles (para usar lâmpada mais forte, como fiz na Kansas), deve obrigatoriamente ter um fusível para esta nova conexão.

Não compreendo o motivo da parte elétrica desta moto como um todo ter tamanha má fama, uma vez que, ao meu ver, apenas o retificador é problemático (e a fiação da traseira colocada de forma nem um pouco protegida).

Então, algumas pessoas com medo desta fama e pouco conhecimento, ou sem se dar conta, acabam por criar problemas. Alguns fazem por conta própria uma receita que pegam na internet, outros, tem o mechânico de confiança, que com um simples pedaço de fio, tornam a tarefa quase impossível de incendiar uma Mirage, uma triste realidade.  

"Algumas vezes encontra-se o próprio destino tomando-se o caminho para evitá-lo" - Mestre Oogway - Kung Fu Panda

Abraço


* Referência ao vídeo do Ronnie Von respondendo uma pergunta óbvia de um telespectador.

** Isto é UDR mesmo.

16 de outubro de 2017

Blog largado e um bate papo rápido.

Olá meus amigos!

Como andam vocês?

É o blog está largado, o Photobucket agora é pago para quem quiser publicar as fotos hospedadas nele, aos poucos estou upando as fotos aqui e corrigindo as postagens. Mas muito antes disso, já não estava mais publicando, muito devido ao fato de não estar mais andando de moto.

Coisas mudaram e de uma hora para outra, eu que andava uns 1500 km por mês, passei a mal andar isso por semestre. Também se deve ao fato de que meu tempo ficou extremamente escasso e minha saúde cobrou umas coisinhas de mim.

Não prometerei que voltarei a postar um monte de coisas, já que rodando menos, vivo menos a motoca, mas vou tentar colocar algumas coisas por aqui, assim que eu me encontrar na bagunça de material que às vezes nem lembro o que iria dizer sobre.

Abraços

7 de fevereiro de 2017

Canal Um João Duas Rodas

Divulgando o canal de um grande amigo e profissional de recursos técnicos alternativos não descritos no Manual.